Jovens Sem Fronteiras

HISTÓRIA

Em 31 de Janeiro de 1983,  um pequeno grupo de jovens (e menos jovens), entre os quais o Pe. Firmino, reuniu-se no Centro de Animação Missionária espiritana do Bairro de Santa Cruz, em Benfica. O pretexto era a inauguração antecipada do Centro.

Pode-se dizer que foi aí que tudo começou. O ponto de partida era a vivência, o aprofundamento e o testemunho da Fé pessoal e colectiva em Jesus Cristo. Nada de novo em relação a qualquer projecto de pastoral juvenil. O que talvez poderia ser um pouco novo – mas também se trata de um valor fundamental do Evangelho que é proposto a qualquer cristão – foi o acento colocado na vivência da fraternidade. Uma fraternidade baseada na Fé, claro está. Por isso mesmo, uma fraternidade sem barreiras nem fronteiras.

Mais tarde, em Julho de 1983, num encontro de Jovens promovido pela LIAM, o Pe. Firmino lançou o desafio: “Porque não nascer ali mesmo, um Grupo de Jovens??!”  Foi na Foz do Arelho, em 1983, que se criou o primeiro grupo de Jovens Sem Fronteiras, com apenas 5 elementos, entre os 11 e os 15 anos de idade.

Foi esse grupo que deu origem a um movimento que conta já com 28 anos em missão,  dentro e fora de Portugal, e com projectos como as Semanas Missionárias e as Pontes.

As Semanas Missionárias são vividas essencialmente no mês de Agosto. Durante 10 dias, JSF de todo o país deixam as suas casas e vão ao encontro de realidades de Igreja muito diferentes das suas paroquias para dar um pouco de si a outras comunidades que, muitas vezes, apenas precisam de ser abanadas pela alegria e animação contagiantes da juventude. As actividades centram-se principalmente no trabalho com as crianças, nas visitas diárias aos doentes e Centros de Dia e animação de idosos.

As Pontes, são actividades de voluntariado missionário jovem, que decorrem durante o mês de Agosto, no contexto da lusofonia, com especial incidência nos países Africanos de língua oficial portuguesa, e que nasceram no seio dos Missionários do Espírito Santo, através dos Jovens sem Fronteiras, e que actualmente, contam com a organização conjunta dos JSF e da ONGD Sol Sem Fronteiras. São actividades que contam com a participação de jovens de todo o pais pertencentes, essencialmente, a grupos JSF.

ESPIRITUALIDADE

Desde a sua origem , em 1983, que o Movimento de Jovens sem Fronteiras é composto por grupos de jovens paroquiais. Apesar de cada grupo ser único, quer devido às características dos seus elementos, quer pelas particularidades da paróquia em que se insere, existem traços comuns e ligações ao Movimento.

Ser sem fronteiras significa procurar destruir as barreiras que existem: as que separam o homem de Deus e as que separam os homens e os impedem de dialogarem em plenitude e de se inter-ajudarem.  Para que seja possível a construção de um Reino de Deus na terra, é necessário que ele se alicerce, em primeira instância, no interior de cada jovem e que dele se expanda. Assim, procura-se, através do grupo, gerar espaço e dinâmica que favoreça a formação humana, social e espiritual, e que esta seja assente em valores cristãos missionários.

Sob o espírito missionário o mundo deixa de ser do tamanho do armário , do Eu, ou mesmo do grupo, para passar a medir-se com a Igreja particular e com a Igreja universal, atendendo a causas de Justiça e Paz. A esperança torna-se a base, e o testemunho e o anúncio do Amor e da solidariedade permitem fazer caminho para ousar a experiência. Os jovens são então chamados a serem trabalho e oração. A evangelização necessita de um apelo jovem, mas tem que passar primeiro pelo próprio jovem, para dele partir com sensibilidade e criatividade, apelando aos valores de Justiça, Paz e verdadeiro sentido da beleza da Vida.

Estatutariamente o grupo é constituído por jovens dos 15 aos 30 anos. O grupo está inserido na paróquia, e é lá que se reúne (em geral, semanalmente) e nela que , primariamente, trabalha colaborando com o pároco e com a comunidade, através de diversos serviços (como formação juvenil e catequese), sendo dinamismo de sensibilização e animação missionária.

Ser JSF, no Eu, no grupo, na paróquia, no Movimento, na Igreja e na sociedade é então a força de coesão, o inicio, o caminho e a meta…

CONTACTOS

Grupo Jovens Sem Fronteiras de Tires –  jovenssemfronteirastires@gmail.com

Animadora – Mónica Ferreira – 966 777 019 – monicaferreira16@gmail.com

Vice-Animadora –  Inês Jerónimo – 914 926 798 – inesjeronimo6@gmail.com

Reuniões semanais –  Sábados às 21h30m