O Papa pediu hoje aos católicos para confiarem em Deus nos momentos mais difíceis da vida, naquela que foi a sua primeira audiência geral de 2013, em que também procurou esclarecer a origem de Jesus.

No encontro realizado no Vaticano, Bento XVI apelou aos fiéis para não desanimarem perante o desajustamento que poderão sentir face às exigências do seu testemunho cristão e lembrou que Deus escolheu para mãe do seu filho, Jesus, “uma mulher humilde”, proveniente de uma “vila desconhecida” localizada numa das “províncias mais longínquas” do Império Romano.

“Sempre, mesmo no meio das dificuldades mais árduas a enfrentar, devemos ter confiança em Deus, renovando a fé na sua presença e ação na nossa história, como na de Maria”, afirmou.

Depois de lembrar que “nada é impossível a Deus”, o Papa sublinhou que com ele a existência humana “caminha sempre sobre um terreno seguro e abre-se a um futuro de esperança firme”.

“Só se nos abrirmos à ação de Deus, como Maria, só se confiarmos a nossa vida ao Senhor como a um amigo em quem nos fiamos totalmente, é que tudo muda, a nossa vida adquire um novo sentido”, disse.

O nascimento de Jesus, que os cristãos assinalam no Natal, é um anúncio esperançoso porque confere a “certeza” de que “o poder de Deus age sempre e opera maravilhas mesmo na debilidade”.

Com a natividade de Jesus, Deus “dá vida a um novo início da humanidade”, apontou o Papa, antes de referir as virtudes do primeiro dos sete sacramentos concedido pela Igreja Católica.

“Ao início do ser cristão é o Batismo que nos faz renascer como filhos de Deus, nos faz participar na relação filial que Jesus tem com o Pai. E quero destacar que o Batismo recebe-se, nós ‘somos batizados’ – é um passivo – porque ninguém é capaz de tornar-se filho por si: é um dom que é conferido gratuitamente”, vincou.

A catequese de Bento XVI centrou-se também na origem humana e divina de Jesus, questão que foi motivo de perplexidade entre os seus próprios contemporâneos, como narra a Bíblia, livro que segundo o Papa dá uma resposta inequívoca às dúvidas.

“Nos quatro Evangelhos emerge com clareza a resposta à pergunta ‘de onde’ vem Jesus: a sua verdadeira origem é o Pai”, que “nunca” abandona a humanidade.

O ‘Credo’, profissão de fé proferida em todas as missas, refere “quatro sujeitos” que agem no nascimento de Jesus: o próprio, Deus Pai, o Espírito Santo e a Virgem Maria, explicou.

Na alocução em língua portuguesa aos peregrinos lusófonos, Bento XVI desejou “um Ano Novo sereno e feliz”.

“A minha saudação amiga para todos os peregrinos de língua portuguesa, desejando que a luz do Salvador divino resplandeça intensamente nos vossos corações, para serdes semeadores de esperança e construtores de paz nas vossas famílias e comunidades”, afirmou.

Após a audiência, o Papa enviou uma mensagem em oito línguas, incluindo o português, aos seus mais de 2,3 milhões de seguidores na rede social Twitter: “Quando nos entregamos totalmente ao Senhor, tudo muda. Nós somos filhos de um Pai que nos ama e nunca nos abandona”.

Agência Ecclesia – http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?id=93872

You have Successfully Subscribed!