O presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje que pretende ser um “garante” da liberdade religiosa e elogiou o “espírito ecuménico” do país.

“Este encontro quer significar que o presidente da República de Portugal, como garante da Constituição que jurou defender, cumprir e fazer cumprir, será sempre garante da liberdade religiosa, em todas as suas virtualidades”, declarou, durante um encontro inter-religioso que decorreu na mesquita central de Lisboa.

A iniciativa, inserida no programa de cerimónias de tomada de posse presidencial, contou com a presença de representantes de confissões religiosas e associações cívicas.

A chegada de Marcelo Rebelo de Sousa ao local aconteceu pelas 16h45, sendo acolhido pelo imã da mesquita e pelo cardeal-patriarca de Lisboa.

O presidente assumiu o “apoio e o empenho” pessoal que colocou nesta iniciativa, antes de afirmar que “Portugal deve muita da sua grandeza secular ao seu espírito ecuménico”

Nesse sentido, sustentou que o país “foi grande sempre que soube cultivar esse espírito, dentro e fora das suas fronteiras físicas” e “ficou aquém do seu desígnio sempre que sacrificou a riqueza da convergência de culturas, civilizações e, naturalmente, de religiões”.

Rebelo de Sousa recordou que a Constituição Portuguesa consagra a liberdade religiosa, “que supõe a liberdade de não crer, mas que para os crentes vai além da mera liberdade de culto”.

Agência Ecclesia – ler artigo completo aqui.

You have Successfully Subscribed!