O Bom Pastor

Este domingo recebeu o nome de Domingo do Bom Pastor porque o Evangelho nos apresenta a figura do pastor que guarda e trata do seu rebanho, figura essa, que se identifica com o próprio Senhor. Jesus, Ele próprio, apresenta-se deste modo: «EU SOU O BOM PASTOR e dou  a vida pelas minhas ovelhas.» (Jo. 10) No texto que temos diante dos olhos Jesus fala da maneira como exerce o pastoreio das Suas ovelhas que são, é claro, figura das pessoas, ou seja de nós próprios. Além de dar a vida, Ele conhece as ovelhas e chama cada uma pelo seu nome. Trata das doentes e vai à procura daquela que saiu do rebanho, alimenta-as e defende-as do lobo que as arrebata e devora. Estas expressões são extremamente belas e conduzem-nos à descoberta de uma relação muito próxima entre Jesus e nós e à certeza de um acompanhamento que nunca se interrompe. Ele está sempre ao nosso lado em todas as situações da nossa vida.

Podemos agora dar um salto para uma realidade que as palavras de Jesus «eles ouvirão a minha voz» (Jo, 10) fazem ressaltar. Trata-se da VOCAÇÃO. Inúmeras vezes nos servirmos desta palavra, que é portadora de uma riqueza quase sem limites. Na verdade, o chamamento de Deus encontra-se na origem da FÉ. Deus chama Adão e Eva que se esconderam envergonhados, chama Abraão, chama Moisés e os profetas. Jesus chama os Apóstolos e o próprio Jesus é chamado pelo PAI. Todos os chamamentos se destinam a fazer conhecer uma tarefa que é entregue para ser realizada. E essa tarefa faz-nos participar na missão confiada a Jesus Cristo. E se neste dia das vocações damos um destaque àqueles que são chamados a uma entrega que leva a um desprendimento maior, não são excluídos os demais que optam pelo matrimónio que é também uma vocação.

Padre Magalhães Fernandes

You have Successfully Subscribed!