A vida é cheia de opções e é feita de escolhas. Cada escolha que fizer deve assumir, igualmente, as suas consequências sejam boas ou más. Para isso deve refletir antes de quaisquer escolhas na vida.

O Evangelho deste XXI Domingo de Tempo Comum é de São João e contempla a reação final dos discípulos, os doze, sobre o exigente discurso de Jesus sobre o pão da vida, que é Ele mesmo, e a necessidade de se alimentarem Dele. Tudo isto, ainda, como desdobramento do sinal da multiplicação dos pães no início do capítulo (cf. 6,1-15). A revelação de Jesus como o pão descido do céu e a Sua carne dada como alimento para a vida do mundo provocou incompreensão e murmurações entre os judeus (Jo 6,41.52). Muitos dos seus discípulos também, sem entenderem, abandonaram Jesus. Eles nunca tinham ouvido falar de tal coisa. Essas palavras não correspondiam ao que pensavam do Messias que havia de vir e ficaram escandalizados. Eles esperavam não apenas um messias com um trono real, que libertaria o povo judeu do jugo romano, mas também lhes daria pão em abundância e muitas outras vantagens materiais.

O Evangelho deste domingo ajuda-nos a entender o que é ser discípulo, de modo a discernir e a tomar decisões: o seguimento de Jesus é comprometedor; ser discípulo Dele não é memorizar uma doutrina para depois repeti-la, mas é entrar em comunhão plena com a Sua pessoa, assimilando o Seu jeito de ser. É este o sentido de comer a Sua carne e beber o Seu sangue (cf. 6,54). Recebê-lo como alimento é tornar-se também alimento para os outros. Uma proposta de vida assim tão exigente não poderia ser absorvida com facilidade. Neste contexto, Jesus lança uma pergunta aos discípulos para decidirem; “Também vós quereis ir embora?” A liberdade do seguimento é fundamental para que ninguém se sinta obrigado a caminhar com Jesus. Jesus evidencia que o seguimento é algo que nasce do coração e não da obrigatoriedade, de um ato livre, edificante e transformador.

A resposta inspiradora do Pedro “para quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. Nós acreditamos e sabemos que Tu és o Santo de Deus” faz-nos compreender que Jesus é a nossa maior alegria e fora Dele não há outro caminho que traga a paz, a alegria e o bem-estar espiritual. Ele é a fonte de tudo o que o coração humano necessita para fazer sentido na vida. Saibamos também nós ficar com Cristo em cada Eucaristia e que seja ela o centro de nossa vida cristã e que a comunhão eucarística nos sacie a fome que sempre devemos ter do Pão Vivo que é o Cristo Senhor.

Somos chamados neste domingo a renovar a nossa escolha de seguir Jesus e cumprir com amor os Seus mandamentos. Como o apóstolo Pedro procuramos afirmar: “Nós cremos firmemente e reconhecemos que Tu és o Santo de Deus, mas aumentai a nossa fé”.

Que Deus nos dê a coragem de fazer esta profissão da fé e o ardor de poder vivê-la sempre na nossa vida.

Pista de Reflexão

  • Durante esta semana procure partilhar com algum irmão/irmã da comunidade sobre como vive esta escolha de seguimento de Jesus na sua vida.

Desejo-vos um bom domingo e uma excelente semana.
Pe. Andrew Prince