O cardeal José Policarpo, patriarca emérito, prometeu hoje que vai “descobrir novas formas” de servir a diocese, no momento em que abandona o cargo, por limite de idade, e é substituído por D. Manuel Clemente.

“A Igreja de Lisboa muda de bispo, mas continua com o mesmo pastor, Cristo que nos ama muito. Agradecei comigo ao Senhor o ter-me escolhido como pastor desta Igreja. Servi esta Igreja, onde nasci, fui batizado, ordenado sacerdote e bispo, sempre com muito amor. Amo muito a Igreja de lisboa, sinto-me muito amado pela Igreja de Lisboa”, disse, na homilia da missa que encerra as celebrações do Dia da Igreja Diocesana que decorrem na Escola Salesiana de Manique, arredores da capital portuguesa.

A intervenção, transmitida através da internet e no Meokanal do Patriarcao de Lisboa, destacou a importância da “comunhão” entre o bispo e os padres da diocese.

“A minha comunhão com este presbitério de Lisboa acompanhou a caminhada da minha vida e a minha busca de fidelidade: ensinei-os, formei-os, ordenei-os, partilhei com eles, quase sempre na alegria, mas por vezes também na preocupação e na dor, esta aventura de amor pela Igreja de Lisboa”, reconheceu D. José Policarpo.

O patriarca emérito, administrador apostólico da diocese, deixou um pedido aos presentes: “Amai os nossos sacerdotes como me amastes a mim, perdoai aos nossos sacerdotes as suas fragilidades, como espero que me perdoeis a mim”.

A homilia foi sublinhada por uma salva de palmas, durante mais de um minuto, por parte da assembleia.

“Esta é a nossa querida Igreja de Lisboa. Vai receber um novo pastor, isto é, outra pessoa que tornará sacramentalmente presente Cristo Bom Pastor. Que a Palavra do Evangelho e a Eucaristia sejam a nossa força, e a nossa oração será o melhor louvor desta Igreja a Deus Trindade Santíssima. E nela ter-me-eis sempre convosco”, concluiu D. José Policarpo.

No fim da missa, os catequistas e professores de Educação Moral e Religiosa Católica da diocese de Lisboa homenagearam o patriarca emérito, a quem quiseram dizer “obrigado” através da oferta de um quadro representando a Última Ceia de Jesus.

O padre Paulo Malícia, diretor do Departamento de Evangelização do Patriarcado de Lisboa, disse que a oferenda traduz o que D. José Policarpo representa para os educadores da fé da diocese: “um pai” que sempre “partiu o Pão” na Eucaristia

O patriarca emérito vai despedir-se da diocese no dia 29 de junho, numa celebração em que vão ser ordenados novos padres e diáconos, às 10h30, no Mosteiro dos Jerónimos.

O cardeal, de 77 anos, apresentou a sua renúncia ao cargo em 2011, por limite de idade, resignação aceite por Bento XVI e confirmada pelo Papa Francisco, que nomeou como novo patriarca de Lisboa o até agora bispo do Porto, D. Manuel Clemente.

D. José Policarpo, 16.º patriarca de Lisboa assumiu esta missão a 24 de março de 1998, após a morte de D. António Ribeiro, de quem era coadjutor desde março de 1997.

A tomada de posse do novo patriarca está marcada para 6 de julho, às 11h00, na Sé Patriarcal de Lisboa, diante do Cabido da Sé [os cónegos que constituem o colégio de consultores do patriarca].

No dia seguinte, decorre a entrada solene de D. Manuel Clemente no Patriarcado de Lisboa, uma celebração marcada para as 16h00, no Mosteiro dos Jerónimos.

Agência Ecclesia – http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?id=95657

You have Successfully Subscribed!