A oração é uma ferramenta necessária para a nossa relação com Deus. Sem oração o cristão perde o seu fio condutor na vida. Assim, torna-se o caminho por excelência para nos dirigirmos ao nosso Deus. Em cada religião existe este meio, embora em formas diversas e sentidos múltiplos. O mundo cristão identifica várias formas da oração. Pode ser um pedido ou súplica. Suplicamos a Deus em favor daqueles que estão enfermos e encorajamos até o agonizante a orar pela restauração da saúde para o serviço útil a Deus. As orações de pedido exigem que o adorador se concentre na vontade de Deus em vez de na própria vontade. Agradecimento: tem como objetivo tornar-nos conscientes das bênçãos que nos cercam e das quais recebemos benefícios diariamente. Louvor ou Adoração: considera-se o poder, a majestade, a grandeza e o mistério de Deus. Deus não necessita da nossa adoração, mas nós necessitamos de O adorar. Além disso há também a oração de penitência em que o homem confessa o seu erro e pede perdão. Tudo isso depende da relação do crente com Deus.

O Evangelho deste domingo aponta-nos a temática da oração. Porque é que devemos rezar e qual deve ser a modalidade da nossa oração. A sua importância é enfatizada pelo Evangelista São Lucas quando apresenta Jesus muitas vezes em oração. Por isso entendemos que a vida de Jesus foi marcada pela oração e Ele é o modelo da oração. Jesus ensina aos Seus discípulos a oração perfeita: Pai-Nosso. Não estamos diante de um ensinamento abstrato mas concreto, é uma comunicação e uma intimidade. O cristão chama a Deus Pai, porque O conhece e partilha a sua fé com Ele. A oração torna-nos obedientes à vontade do Pai. Por isso, rezar é orientar a nossa vida para Deus. A oração cria uma transformação interior no crente, abre a nossa mente para Deus e modifica o nosso coração.

Ligados ao tema da oração, Jesus introduz mais dois elementos: Constância na oração e a sua eficácia. A oração cristã deve ser capaz de resistir a todas as ondas na vida. É um exercício contínuo tal como o do sangue nas nossas veias. A nossa oração deve ser simples e humilde. Somos chamados a intensificar a nossa vida de oração de modo a sermos mais fortes e eficazes na intimidade com Deus.

PISTAS DE REFLEXÃO

  • Quais são as minhas dificuldades a respeito da oração?
  • Que tempo dedico à oração pessoal e comunitária?

Deus vos abençoe!
Pe. Andrew Prince

You have Successfully Subscribed!